Pesquisadora: Stheffani Lucca dos Santos

Pesquisadora: Stheffani Lucca dos Santos

Orientador: Sérgio Miguel Mazaro 

Titulo do Projeto de Pesquisa: POTENCIAL DE FOSFITOS NO CONTROLE DE FITOPATÓGENOS IN VITRO.

Descrição:

A utilização de agrotóxicos é amplamente difundida entre os agricultores devido a grande praticidade e eficiência do uso desses produtos, porém muito são os efeitos inerentes desse uso, tais como a toxicidade ao ambiente e a saúde humana, resistência a fungos e também o efeito residual que na grande maioria é longo.

Diante disso, produtores e pesquisadores vêm buscando meios alternativos que sejam menos agressivos para o controle de doenças, e que garantam alimentos com maior qualidade. Entre esses métodos, os que induzem a resistência de plantas apresentam grande importância por ativarem os mecanismos de defesa latente da planta agindo de forma sistêmica, além de possuírem baixa toxidez ao homem e ao meio ambiente.

A soja (Glycine max) é a cultura agrícola que mais cresceu no Brasil durante as últimas três décadas. Esse crescimento é resultado do aumento da tecnologia e também do uso da cultura.

Com a expansão de áreas, houve um acréscimo nos problemas fitossanitários que a acometem. Dentre os patógenos causadores de danos na cultura da soja, podemos citar alguns que podem causar problemas do início da germinação até os primeiros dias após a emergência, Sclerotinia sclerotiorum (podridão branca), Macrophomina phaseolina (podridão de carvão), Rhizoctonia solani (tombamento), Fusarium oxyporum (amarelecimento) e Pythium sp. (podridão de raízes).

Segundo Huber (2005), um dos fatores que determina a resistência ou susceptibilidade de uma planta a certa doença é a sua nutrição mineral. O envolvimento dos nutrientes ocorre diretamente em todos os mecanismos de defesa como componentes integrais das células, das membranas, das enzimas e dos transportadores de elétron ou como ativadores, inibidores e reguladores do metabolismo.

Nesse sentido, o uso de fosfitos se mostra como uma forma eficiente, pois, além de manter o equilíbrio nutricional da planta, promove a ativação dos mecanismos de defesa e a produção de fitoalexinas que são substâncias naturais que conferem resistência contra fitopatógenos (REUVENI et al., 1994; NOJOSA et. al., 2005).

Referências Bibliográficas:

HUBER, D. M. Papeis do nitrogênio e enxofre na resistência a doenças de plantas. In: SIMPOSIO SOBRE RELAÇÕES ENTRE NUTRIÇÃO MINERAL E INCIDENCIA DE DOENÇAS DE PLANTAS, 2005, Piracicaba, Anais... Piracicaba: Potafos, 2005.

NOJOSA, G. B. de A.; RESENDE, M. L. V.; RESENDE, A. V. Uso de fosfitos e silicatos na indução de resistência. In: CAVALCANTI, L.; et al. (Eds.). Indução de resistência em plantas a patógenos e insetos. Piracicaba: FEALQ, 2005.

REUVENI, R.; AGAPOV, V.; REUVENI, M. Foliar spray of phosphates induces growth increase and systemic resistence to Puccinia sorghi in maize. Plant Pathology, Oxford, v. 43, n. 2, p. 245-250, Apr. 1994.

 

 

 

voltar para Pesquisa

left fwR tsY uppercase show c15s sbss bds b01n||tsY normalcase fsN left fwR show c10s sbss|sbne b01 bsd c15||image-wrap|news login c05 fwR b01 tsN bsd|b01 c05 normalcase uppercase bsd|b01 c05 bsd|login news b01 c05 normalcase uppercase bsd|c05 normalcase uppercase b01 bsd tsN|b01 normalcase uppercase c05 bsd tsY|content-inner||