O PET Agricultura Familiar

O PET Conexões de Saberes - Agricultura Familiar, foi criado em 2010, tendo como tutor o Prof. e Dr. Américo Wagner Júnior. O Grupo era constituído por 4 (quatro) bolsistas, sendo eles: Ana Claudia da Silveira, Clézio José da Mota, Deylon Alencar Seidel e Maura Colombo, estes, eram base do grupo até então. A filosofia do PET Agricultura Familiar sempre se baseou no trabalho em conjunto, exceto, alguns casos específicos, em que não à possibilidade ou, necessidade da  atuação de todos os bolsistas, um exemplo é a pesquisa, realizada de principio de forma individual. Dentre as principais características do PET Agricultura Familiar é a atuação juntamente ao meio acadêmico e a sociedade, levando o ensino, através de atividades extensionistas. 

Em 2011 com o edital de seleção para mais 4 (quatro) bolsistas e 2 (dois) voluntariados, o grupo passou de 4 (quatro) para 10 (dez) integrantes. Nesse meio tempo inúmeras atividades de ensinopesquisa e extensão foram, e ainda estão sendo realizadas até os dias atuais.

No ano de 2012, após o egresso de alguns petianos, foi aberto novo Edital de seleção. Após este feito, no início de 2013, concluindo a sua jornada a frente do Grupo, o até então, Tutor Prof. Dr. Américo Wagner Júnior, por motivo de força maior, deixou o Programa de Educação Tutorial - PET. Dessa forma, iniciou-se um processo seletivo para a escolha de um novo tutor, sendo o Professor Dr. Paulo Cesar Conceição selecionado para ocupar o cargo de Tutor do Grupo PET Conexão de Saberes – Agricultura Familiar. O Profº Dr. Paulo Cesar Conceição atuou no grupo até março de 2015.

Atualmente o grupo é composto pelo Tutor Professor Dr. Sérgio Miguel Mazaro, e conta com 12 (doze) bolsistas e 4 (quatro) voluntários, de 4 (quatro) diferentes cursos de graduação: Agronomia, Engenharia Florestal, Ciências Biológicas e Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia. Contando com o apoio de um grande numero de professores, que auxiliam os petianos em todas as atividades desenvolvidas pelo Grupo.

Para um melhor entendimento e compreensão do funcionamento básico do Programa de Educação Tutoria - PET - Conexões de Saberes - Agricultura Familiar, foi elaborado algumas perguntas e respostas que possibilitam ao leitor a obtenção informação referentes ao nosso Grupo, salientando alguns conceitos, definições, funcionalidades, dentre outras. Boa leitura!

 

1- O que é um Grupo PET?

O PET constitui-se em programa de educação tutorial desenvolvido em grupos organizados a partir de cursos de graduação das instituições de ensino superior do País, orientados pelo princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, que tem por objetivos:

I - desenvolver atividades acadêmicas em padrões de qualidade de excelência, mediante grupos de aprendizagem tutorial de natureza coletiva e interdisciplinar;

II - contribuir para a elevação da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação;

III - estimular a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação técnica, científica, tecnológica e acadêmica;

IV - formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no país, e;

V - estimular o espírito crítico, bem como a atuação profissional pautada pela cidadania e pela função social da educação superior.

 

2- O que é um Grupo PET Conexões de Saberes?

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único da Constituição Federal, e considerando o disposto no inciso III, art. 43, da Lei nº- 9.394, de 20 de dezembro de 1996, resolve:

I - ampliar a relação entre a universidade e os moradores de espaços populares, assim como com suas instituições;

II - criar estruturas institucionais e pedagógicas adequadas à permanência de estudantes de origem popular na universidade e à democratização do acesso ao ensino superior;

III - aprofundar a formação dos jovens universitários de origem popular como pesquisadores e extensionistas, visando sua intervenção qualificada em diferentes espaços sociais, em particular, na universidade e em comunidades populares;

IV - implantar ações e projetos de assistência integral aos grupos sociais em situação mais crítica de vulnerabilidade social, em particular crianças e jovens;

V - coletar, sistematizar e analisar dados e informações sobre a estrutura universitária e as condições de acesso e permanência dos estudantes universitários de origem popular nos cursos de graduação; e

VI - estimular a formação de novas lideranças capazes de articular competência acadêmica com compromisso social.

 

3- Vantagens de ser PETIANO?

O bolsista PET está envolvido de forma direta e indireta com o meio acadêmico, de forma a receber e repassar o conhecimento ao demais estudantes através de palestras, cursos, entre outros. Além de realizar inúmeras atividades de extensão junto à sociedade, sendo um elo, que aproxima à universidade com a comunidade. Inclui-se também a criação de projetos de pesquisa, fundamental para a formação do bolsista quanto a suas atribuições. Conclui-se que o petiano desenvolve atividades multidisciplinares em diversas áreas do conhecimento, que o possibilita de ter uma visão crítica e, uma distinção da melhor área para a sua atuação.

 

4- Desvantagens de ser PETIANO?

Geralmente á uma expectativa em relação ao rendimento do bolsista, dessa forma é esperado um destaque do aluno PET em relação a grande maioria, de tal forma que deverá sempre que possível estar a frente de inúmeras situações, a ponte de servir como exemplo para muitos, porém, qualquer deslize, ERRO, atitude, será facilmente cobrado pelo meio em que se encontra.

 

5- Existem deveres e atividades obrigatórias? Quais?

I - zelar pela qualidade acadêmica do PET;

II - participar de todas as atividades programadas pelo professor tutor;

III - participar durante a sua permanência no PET em atividades de ensino, pesquisa e extensão;

IV - manter bom rendimento no curso de graduação;

V - contribuir com o processo de formação de seus colegas estudantes da IES, não necessariamente da mesma área de formação, especialmente no ano de ingresso na instituição;

VI - publicar ou apresentar em evento de natureza cientifica um trabalho acadêmico por ano, individualmente ou em grupo;

VII - fazer referência à sua condição de bolsista do PET nas publicações e trabalhos apresentados; e

VIII - cumprir as exigências estabelecidas no Termo de Compromisso.

 

6- Qual a contribuição do PET para o petiano?

Formação de um cidadão com ampla visão do mundo com responsabilidade social, através da bagagem adquirida com o passar do tempo dentro do Grupo, baseando em todas as atividades desenvolvida (ensino, pesquisa e  extensão) além das inúmeras ações desenvolvidas junto ao meio acadêmico e a sociedade.

 

7- Quais as funções do aluno PET?

O bolsista PET deverá estimular a melhoria do ensino de graduação através do desenvolvimento de práticas e, experiências pedagógicas no âmbito do curso, promovendo ações que procurem integrar o ensino, a pesquisa e a extensão.

O petiano deverá atuar como um agente multiplicador, disseminando novas ideias e praticas entre o conjunto dos alunos do curso, interagindo com o corpo de docência e discente, inclusive, com outros grupos PET, inclusive em níveis de pós-graduação.

Deverá também promover atividades que promovam o contato dos bolsistas e os demais alunos de graduação com a realidade social em que o meio está inserido, estimulando o desenvolvimento de uma consciência do papel do aluno perante a sociedade.

 

8- Quais são as atribuições do professor tutor do Grupo PET?

I - planejar e supervisionar as atividades do grupo e orientar os estudantes bolsistas;

II - coordenar a seleção dos bolsistas;

III - submeter a proposta de trabalho para aprovação das pró-reitorias de graduação e de extensão, ou equivalentes;

IV - organizar os dados e informações sobre as atividades do grupo para subsidiar a elaboração do Relatório da instituição de ensino superior e a avaliação pelo grupo de consultores avaliadores;

V - dedicar carga horária mínima de dez horas semanais para orientação dos estudantes bolsistas e do grupo, sem prejuízo das demais atividades previstas em sua instituição;

VI - atender, nos prazos estipulados, às demandas da instituição e do MEC;

VII - solicitar ao CLA, por escrito, justificadamente, seu desligamento ou o de estudantes bolsistas;

VIII - controlar a freqüência e a participação dos estudantes;

IX - elaborar a prestação de contas da aplicação dos recursos recebidos, a ser encaminhada à CAPES/SESu;

X - fazer referência a sua condição de bolsista do PET nas publicações e trabalhos apresentados; e

XI - cumprir as exigências estabelecidas no Termo de Compromisso.

 

9- Quanto tempo precisa permanecer no grupo para ser certificado e por quem é certificado?

O bolsista fará jus a um certificado de participação no PET indicando o tempo de participação efetiva e comprovada no Programa, emitido por sua instituição.

 

10- Quais são os requesitos necessários para ser um bolsista PET?

I - estar regularmente matriculado como estudante de graduação;

II - não ser bolsista de qualquer outro programa;

III - apresentar bom rendimento acadêmico de acordo com os parâmetros fixados pelo colegiado máximo de ensino de graduação da IES, isto é, um Coeficiente de Rendimento Escolar maior ou igual a 6,0 (seis);

IV - ter disponibilidade para dedicar vinte horas semanais às atividades do programa.

 

11- Quem financia o PET?

O Ministério da Educação - MEC é a instituição responsável por financiar as bolsas do Grupo PET.

 

17- Qual é o valor da bolsa de um petiano?

O estudante bolsista de grupo PET receberá mensalmente uma bolsa no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais).

 

 

 

left fwR tsY uppercase show c15s sbss bds b01n||tsY normalcase fsN left fwR show c10s sbss|sbne b01 bsd c15||image-wrap|news login c05 fwR b01 tsN bsd|b01 c05 normalcase uppercase bsd|b01 c05 bsd|login news b01 c05 normalcase uppercase bsd|c05 normalcase uppercase b01 bsd tsN|b01 normalcase uppercase c05 bsd tsY|content-inner||